Meu Menu Urbano

Sua melhor refeição. Em qualquer lugar do mundo.

#003 SEXTA DO CHEF: Rosane Radecki

Ser apaixonado por gastronomia e valorizar a cultura gastronômica são marcas dos chefs que damos destaque na ´Sexta do Chef´. Este também é o espaço para estarmos mais próximos de grandes nomes da gastronomia, conhecer as receitinhas favoritas e ainda descobrir dicas que eles não contam pra ninguém. 

Nesta terceira edição nossa convidada é a chef Rosane Radecki, famosa por valorizar o Pão no Bafo

Rosane Radecki, é uma chef fora do circuito curitibano. Ela comanda o Restaurante Girassol, espaço com quase 40 anos de existência na cidade de Palmeira, e, parada obrigatória para todos que viajam entre Curitiba e o interior do Estado. Sempre provocando as pessoas para que olhem para suas origens, Rosane valoriza de onde vem os alimentos e a importância de preservar nossos pequenos produtores.

Se somos o que comemos, não podemos esquecer de nossas raízes, e é isso que a chef mais valoriza. “Todo mundo tem um prato de infância, uma lembrança da comida da vovó, da mãe… e é importante que a gente preserve isso”, conta a chef.

Provando também seus colegas da gastronomia para que busquem o produto direto do produtor, ela busca a valorização do próprio campo. “É possível que as famílias do campo continuem por lá. Criando sustentabilidade para os pequenos produtores eles podem não apenas produzir alimentos de altíssima qualidade, mas podem também construir junto com a gente uma gastronomia que valorize nosso povo e nossa terra”.

MMU: Qual ingrediente não pode faltar na sua cozinha?

Rosane Radecki: Na minha cozinha não pode faltar alimentos com porco. É sempre preciso ter um pouco de banha, de bacon, algum salame. Eu adoro.

MMU: O que você recomenda que as pessoas comam pelo menos uma vez na vida?

Rosane Radecki: Ninguém pode deixar de pelo menos uma vez na vida comer algo que tenha plantado, criado ou mesmo que tenha feito. Isso é fundamental.

MMU: Por que o Pão no Bafo é sua marca registrada?

Rosane Radecki: Meus pratos favoritos tem porco e tem a essência do compartilhar. O Pão no Bafo é assim, um prato com porco e feito para compartilhar. Tudo é preparado na mesma panela e as pessoas podem se servir direto dali.

MMU: E por que ele não é seu destaque neste post?

Rosane Radecki: O Pão no Bafo tem um significado tão especial pra mim que eu poderia colocar ele, mas é importante dar luz em outras receitas. Se todo mundo já conhece a receita do Pão no Bafo, por que não compartilhar mais uma que eu amo tanto? Por isto escolhi a Porchetta Romana. Você aproveita tudo deste prato, inclusive se sobrar algo pode fazer um belo sanduíche.

Aprenda a fazer a Porchetta Romana
Por: Rosane Radecki

  • Ingredientes:
    01 lateral de porco ( do lombo até a barriga ) desossada + ou – 8 Kg e com a pele
    01 maço de folhas de funcho
    03 colheres de sopa de pimenta do reino moída na hora
    Sal a gosto
    02 cabeças de alho

 

  • Modo de Preparo:
    Moa a pimenta grosseiramente, amasse os dentes de alho. Abra a carne com a pele para baixo, tempere com o sal e a pimenta . Faça orifícios na carne e coloque os dentes de alho, coloque as folhas de funcho sobre toda a carne. Enrole e amarre com barbante, bem firme. Esfregue sal sobre a pele. Coloque sobre uma grelha com uma forma em baixo para recolher a gordura que irá escorrer.Coloque para assar por 15 minutos à 250 graus. Abaixe o forno para 150 graus e asse por mais 3 a 4 horas, suba a temperatura novamente por mais alguns minutos para que a pele fique bem crocante. Sirva com uma farofa de sua preferência ou batatas assadas. Você pode usar a gordura da forma para isso.Fatie antes de servir, e o que sobrar pode ser transformado em deliciosos sanduíches feitos na ciabatta com folhas de rúcula.
  • Imagens do preparo

 

Rosane junto com outros apaixonados pela gastronomia formam parte do grupo Porcadeiros. Resgatando a memória dos porcadeiros, que eram tropeiros de porcos, e nunca trabalhavam sozinhos, estes apaixonados pela gastronomia também não dispensam o trabalho em conjunto e a valorização do regionalismo, levando a história, o resgate e a valorização da gastronomia para a população.

Na foto, Rosane com alguns participantes dos Porcadeiros

FOTOS | Divulgação

chefgastronomiaParaná

gurtat • 3 de novembro de 2017


Previous Post

Next Post

Deixe uma resposta

Your email address will not be published / Required fields are marked *